segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

O homem útil

fonte da imagem: Google imagens

O homem útil

Por anos o homem imagina que ser útil é apenas servir; um dia ele cresce! Do mundo  se esquece no seu existir, passa a ter, acredita ser.
Cansado faz da vida uma pena; vira serenata nada serena; mergulha nos olhos da ilusão. Sai da multidão e passa para um mundo cruel, onde ter é ser. Serve em si o existir apenas por possuir, desfalece o coração, por matar em ti a razão.  
Anda sempre atordoado no mundo multiplicado por sua própria incompreensão. Vive a fantasia, desconhece a alegria de saber o que é ser útil. O homem inútil multiplica-se junto a sua ignorância. Ele cresce cada vez mais! E aos olhos de um tolo até poderá parecer-lhe grande, mas somente a estes olhos.
Ser útil é bem simples, ser inútil é bem mais complexo, pois é necessário que não olhe para si mesmo. Se olha é fato uma vez que a cada dia todos estão consigo mesmo. E o homem se embrenha na escuridão da própria auto imagem. Há tantos que assim se portam. Ser útil é olhar para dentro e ver o que se faz por fora!
Um  homem perguntou a um mestre se: Fazendo a tal caridade, doando suas finanças, a utilidade iria alcançar?  O mestre olhou-lhe nos olhos e o silêncio continuou. A resposta já era dada. Ser útil começa quando se descobre que no mundo não se viverá egoisticamente sozinho, todos existem; e coexistem! Princípios pessoais desconhecem perguntas, pois se ligam sempre as respostas verdadeiras de cada ser humano.

Um grande abraço a todos!
Postar um comentário