sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O ódio e a inveja



O ódio e a inveja

Odiar e invejar são sentimentos para específicos seres humanos. Dentro da natureza não há comportamentos semelhantes entre os animais ditos irracionais; entre eles toda a conduta e baseada no instinto de sobrevivência.  Não se vê inveja, muito menos se odeia entre seres vivos irracionais. Pois ambos os comportamentos que estes abstratos traduzem, não fazem parte nem mesmo da irracionalidade, sendo comportamentos pré-históricos apropriados por sentimentos e comportamentos "desumanizados" .

A palavra ódio, segundo o dicionário Aurélio de língua portuguesa, significa: (derivado do latim odiu), paixão que impele a causar ou desejar mal a alguém, execração, rancor, raiva, ira, repugnância, apatia, desprezo e repulsão (pág:1214). No mesmo dicionário inveja é: (derivado do latim invidia) desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade de outrem.(pág:964). Observa-se que ambas as palavras constituem-se puro e tão somente de abstrações mentais as quais advém  da conduta especifica e comportamental de cada indivíduo. Lembrando ainda que; a capacidade de se humanizar correlaciona o individuo a sua própria avaliação pessoal. Dai o fato de alguns seres humanos serem capazes de melhor se socializar,  o que se pode chamar de "pessoa resolvida".
Como se pode notar. Na vida é bom se lembrar! Só demonstrará o ódio quem com a inveja está a se acasalar.  O ódio é um abstrato de muitos outros abstratos mal compreendidos. Assim sendo, para executar o ódio e a inveja, deve-se, ser, um executor nato de abstrações negativas comportamentais; ou de modo algum, o Homo-sapiens-sapiens, se contaminará ao ódio e a inveja alheia; haja visto que: ambas dependem de como a pessoa se vê, conforme relata na explicação do dicionário acima subscrito estas palavras são sentimentos pessoais de auto reflexão.  São estes sentimentos humanos capazes de desumanizar as pessoas no processo de convivência comportamental social.
Pessoas humanizadas tornam-se imunes a inveja e ao ódio, ao desejo leigo;  pois são extremistas em si mesmas, ou seja, são pessoas resolvidas mentalmente em suas abstrações. Neutras a qualquer objeto em sua infinita compreensão, será o Homem que entender a toda a complexidade da razão, o vitorioso em si mesmo sem nenhuma desilusão! A virtude humana da afeição traduz o respeito pela multidão. Cada ser humano age em conformidade com os teus atos abstratos interiores; Até mesmo aqueles que agem pacatos; não se desapegam dos teus reflexos atos. Logo, alguém que odeia, na verdade tem paixão e ansiedade pelo objeto em questão, doando a este  todos os seus sentimentos, mesmo que deste nada receba! Na dose das dúvidas e das incertezas; a  inveja vem cravada na bandeja dos vãos entendimentos humanos, desumanizados independente do nível mental. 
O Homem inteligente desconhece os tolos pensamentos negativos, mergulha em si mesmo e encontra todas as respostas. Lê a vida sem vãos entendimentos. Faz do tempo o seu mais precioso bem. Desconhece as falsas e falidas verdades abstratas e repugnantes intempereis mentais humanas de seres desumanizados. A falta de humanização mata seres humanos em todo o planeta, todos os dias. Tantas certezas vazias, em uma multidão mutilada por sentimentos abstratos! Confusões mentais de puras incertezas, sem depurar as confusões humanas em nostalgias; traduz a certeza de pessoas incertas; fechadas, frias; e abertas para a desigualdade entre os homens de boa vontade!
Atingir algo ou alguém com ódio e inveja, é ato de desespero pessoal  total. Pois, o objeto para qual se destina tais sentimentos, desconhecerá o sentimento que lhe é dado; quando deste o valor do princípio interno e pessoal racional for baseado em respeito. Quando  o Ser humano é humanizado, é tolice enfrentar o desconhecido sentimento de uma mente Humana. É bobagem, doar sentimentos negativos independentes de quais forem! Pois as pessoas que respeitam as demais, doarão para todos o mesmo valor interno, ou seja, o respeito em existir.
Esta doação confusa que inúmeros seres humanos praticam todos os dias, é repulsa de si mesmo em um plano mortal. É ver a si próprio de forma banal. E doar sentimentos que só fazem mal para si mesmos! Pois somente aqueles capazes de não se entender serão dotados de desespero em si compreender ao doar sentimentos negativos no alheio. Ávidos de ilusões enganam a si e aos seus corações. Mergulham-se em jardins de flores murchas! Onde o cheiro da vida é o mesmo que o da morte; na inveja crava-se o ódio como se fora falta de sorte! Tornam-se homens sem norte. Embriagam-se na desvairada estupidez comportamental. Lobos de si mesmo, em comportamentos sem igual. Humanos desumanizados são de pouca estrutura  no comportamento social. 
Há uma frase que diz: "fala demais quem não tem nada a dizer". O silêncio é um abstrato profundo; é tão forte e tão exato, no ato real de quem possa lhe aprender. Somente o homem que entende as abstrações da vida pode se dominar e se vencer em si mesmo! Para tantos outros, resta o submundo da arrogância, da inveja, do ódio,  da morte em vida, das incertezas e do desespero na ignorância; distribuindo somente a ânsia na ganancia de ser compreendido. Homens que desrespeitam os outros são excluídos do direito de serem reconhecidos como seres humanos, independente do posto que ocupam no mundo. (Hitler é exemplo do que acima se pode citar)
Odiar e invejar é dom para aqueles que se desconhecem; invejar é a frustração pessoal apenas de pessoas que não conhecem os seus objetivos próprios; e odeiam por não se gostarem. E assim, almejam para si qualquer coisa alheia. O Homem, quanto menos for capaz de invejar e odiar,  mais  ainda se amará, mais humano se tornará!

Obs: Os meus agradecimentos a todos vocês sempre!

Um grande abraço a todos!