terça-feira, 22 de julho de 2014

Egoísmo, uma realidade animal humana, que: poucos em si aceitam.


 
 
fonte da imagem:google.

Ensaio:
Publicado dia 10-09-2013.
O egoísmo gera o  Egoísta cego
 
 
É interessante ver o quanto é possível ser egoísta sem saber que se é. Muitas das vezes não se  pensa nas palavras abstratas. E por não se preocupar com tão significativa parte da vida: os abstratos,  adentram nas entranhas humanas e lhes corroem na mais cruel abstração do   egoísmo; ou    seja, achar   que: "Eu não sou egoísta!" "Eu sou o ser perfeito!"; assim, torna-se-a o mais cego egoísta de todos, e sem a menor noção disto! "O homem é o exercício que faz" Raul Seixas.
 
Segundo o dicionário Aurélio a palavra  Egoísmo quer dizer: amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos interesses alheios; exclusivismo que faz o individuo referir tudo a si próprio; egocentrismo. Doutrina que considera como principio explicativo dos preceitos morais, e como princípio da conduta humana moral o interesse individual. Amor exclusivo e excessivo de si, implicando na subordinação do interesse de outrem ao seu próprio. Egoísta, é quem demonstra egoísmo.
 
Quantas mentiras sociais advém do egoísmo particular de cada pessoa. Por sorte egoísmo não é doença; caso fosse, estava toda a população terrena, animal humano ou não, todos, estariam doentes. O egoísmo advém de um principio primitivo que gera todos os padrões de comportamento animal.
 
Trata-se do principio de sobrevivência. A sobrevivência é egoísta, ninguém sobrevive por outrem, a vida é possível pelo corpo que se tem, pois sem ele ocorre a morte. O corpo é o templo da energia humana que se liga ao ar; a "Alma".  Apenas  vive e morre em um corpo específico o qual se nasce com ele; e nele se vai. Egoisticamente  nasce e egoisticamente morre!
 
Somente se faz para si o principio da vida egoística e solitária. Cada ser humano sobrevive em um corpo próprio o qual ele irá fazer a sua base comportamental para todo o restante da vida. E por não conhecer outro templo além do teu próprio corpo, o homem acaba por tornar-se egoísta nato e cego. A qualquer animal é esse o motivo, sobreviver em teu próprio corpo, a gênese de sua conduta comportamental é reflexo de sobrevivência. Em alguns seres humanos este reflexo e trabalhado, mas somente quando há a consciência do próprio individuo a despeito do seu egoísmo, egocentrismo, narcisismo etc...
 
Aquele que mais foge de se ver egoísta, mais egoísta se torna todos os dias, pois vai perdendo a noção do egoísmo essência, ou seja, sobrevivência. Este Ser Humano incapaz de se avaliar como egoísta é capaz das mais ingênuas e ridículas atitudes de egoísmo, como por exemplo: sentar-se na cadeira do idoso, fechar alguém no transito para chegar mais rápido ao trabalho; chupar o ultimo chiclete sem oferecer a ninguém, ou ainda escondido; pegar o maior pedaço de carne na panela ao invés de corta-lo ao meio. Ter uma vida a dois conturbada e infeliz só por achar que é aquela a pessoa a qual se "ama", pois o sexo vai bem e a convivência é cômoda, logo o egoísmo diz: está tudo bem! Empurrar as pessoas na fila do ônibus para pegar lugar pra ir sentado e não se incomodar com as próprias pernas! Ver alguém feliz e lhe contar tragédias para tirar-lhe o sorriso do rosto, esse comportamento geralmente vem seguido da inveja e frustração pessoal. Desvalorizar o serviço de outra pessoa para engrandecer o seu próprio. Falar mal de alguém só para não ficar calado. Ou ainda para não se sentir em silêncio sozinho conversar com quem está fazendo outra atividade e não está disponível para conversas. São tantas as formas egoístas de sobrevivência que daria um livro composto por inúmeras páginas comportamentais ridículas do cotidiano; comportamentos estes que ocorrem todos os dias em qualquer lugar e passam desapercebidos. 
 
A vida é única e ninguém deve desperdiçar a chance de se ver em seu próprio espelho. Se achar egoísta é primeiro exercício a ser treinado dentro da melhoria comportamental humana. A frase: "Dois bicudos não se beija" traduz exatamente o principio de "ego" acima: egoísmo!  Dois bicudos na verdade são duas pessoas exatamente iguais, quanto ao egoísmo; e elas existem! Pois todos são egoístas nato pela sobrevivência; porém alguns se exercitam mais; outros menos; e outros se acham perfeitos; estes formam o grupo de egoístas cegos. Quando seres humanos  se exercitam menos, surge a frase dos bicudos!
 
O egoísmo está em tudo, em toda parte, nos mínimos gestos e até mesmo dentro dos gestos que mais parecem generosos. Certa vez estudando história e analisando comportamentos de reis e rainhas, foi lastimável ver que o rei era tão generoso a ponto de dar o primeiro pedaço do bolo para um provador; na verdade, a generosidade era o egoísmo pela sobrevivência, em caso de bolo envenenado o rei não morreria, e sim o "sortudo" que provava antes do rei.
 
E então dirás, a morte é egoísta! Sim, pode ser inclusive um altíssimo grau de egoísmo.   Há suicidas! Além dos aspectos psicológicos doentio que um suicida pode estar vivenciando, neste não se aborda fatores de saúde mental. O suicida morre por um dos maiores egoísmo que existe: provar da morte ao prazer de se solucionar como pessoa e assim mostrar para os outros a sua egoística certeza absoluta . Há oito anos atrás uma noticia de jornal dizia: "Mulher, mãe de dois filhos, depois de ser abandonada pelo marido, põe corda no pescoço e pula de árvore, deixando um bilhete que dizia: Olha o que você fez com a nossa vida!"
 
Quer egoísmo maior que tirar a própria vida, não dar a mínima para ninguém, nem para os filhos, os únicos seus de verdade, pois tinham seu sangue. O escorpião é um animal semelhante a este comportamento humano, pois ele se mata quando lhe convém não morrer por outro; ao sentir a morte, o escorpião se mata. 
 
A "mulher escorpião" que se enforcou, não reconheceu nem mesmo o próprio sangue que deixava para traz, dentro dos filhos, em corpos que não eram o seu, o templo desta mulher não era reconhecido, logo em seu pensamento egoísta, os filhos ficariam bem! E ela, poderia dar uma definitiva "lição no marido"! Este um tipo de egoísmo cego ao extremo.
No egoísmo imaginário é exatamente assim: morta, promovendo o eterno remorso do marido para com os filhos e com ela. Encontrou a saída para satisfazer a sua vontade de estar "presente" nos pensamentos e na vida do marido que lhe abandonara. Se matando ela "estaria "para sempre no peso da consciência do esposo.
 
O egoísmo é uma água que se bebe todos os dias. Porém há seres humanos capazes de se ver egoístas, estes acabam se tornando menos egoísta . É como um diagnóstico de uma doença degenerativa. Se a pessoa sabe que está doente, ela trata a doença, se ela não tem noção disso; ela ignora e se torna um cego egoísta ao longo de toda a sua existência.
 
Mas o egoísmo não tem só o lado ruim não; para tudo existe dois lados! Há egoístas capazes de atos egoisticamente maravilhosos e dignos de todo o respeito. Vejamos as mães egoístas, querem os filhos para si eternamente, lhes cuidam, lhes protegem, valoram o ser humano! Ainda há aqueles homens que gostam muito de jogar futebol. Eles não ficariam sem jogar de forma alguma! Com isto eles convidam "qualquer um" já que não há próximos e o time não está completo; eles convidam uns aos outros  para entrar na partida e completar o time; mas sem jogar eles não fica! Jogam com estranhos mas jogam. O egoísmo favorável, pode ser benéfico pois fala mais alto e promove a socialização e convivência em grupos humanos.
 
Ainda existe aquelas pessoas tão egoístas que não conseguem ficar sozinhas, e que querem todos os amigos do mundo para si; geralmente estas pessoas adentram as comunidades. Estas reúnem várias pessoas em um mesmo local e promovem mais convivência humana, e isso é saudável. Não esquecendo o "humano" egoísta financeiro, este é uma faca de duplo corte quando  é extremista e quer todo o dinheiro do mundo para o seu bolso. Ele não pertence ao lado "bondoso" do egoísmo, embora ele construa grandes empresas e dê milhares de empregos para muitas outras pessoas.  É bom socialmente falando, porém há o desequilíbrio social-econômico promovido pela má distribuição salarial.
 
Egoísmo e sobrevivência são duas palavras que caminham na mesma direção, é inevitável. Se existe a última gota de água e duas pessoas estão morrendo de sede; se uma  delas ceder a gota de água, é relevante pesquisar o porque. O obvio, as vezes parece absurdo demais, mas o  motivo poderá ser levado neste raciocínio comportamental: Se só existe uma gota, outra não haverá para continuar mantendo a vida, logo pra que continuar vivo e morrer depois de tanto sofrer! Entrega-se a gota de água, garante a paz interior para alcançar um bom lugar após a morte, pois acaba de fazer uma caridade ao próximo, ou seja, não foi egoísta, cedeu a gota de água a alguém que estava morrendo de cede. O egoísmo por um bom lugar no além morte falou mais alto que o medo de morrer. Sem contar ainda que: a partir do raciocínio lógico "escorpiônico" ao sub consciente dirá:  _fique com esta ultima gota de água, eu estou livrando-me deste sufoco aqui mesmo! Morro logo, garanto um bom lugar lá em cima! Morro agora que é  bem melhor para mim!
 
O ser humano nasce egoísta! Vive intensamente o lado negativo do egoísmo se quiser! E morrerá egoísta mesmo que não queira! Pois a sobrevivência já é um ato egoísta. E a morte é o selo final de todo o tipo de egoísmo que se viveu! É melhor assumir o egoísmo, pois os abstratos incompreendidos se tornam  armas letais nas mais inocentes atitudes humanas-desumanizadas.
 


 
Um grande abraço a todos!