sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Intolerância religiosa



O que os homens fazem em seu próprio nome nunca me preocupou; preocupa-me o que eles fazem e não assumem para si! Luciene Rroques, 2014.

Se toda religião prega a paz, porque fazer guerras?


O Homem é o seu próprio templo. A falta de respeito humano pode chegar a deturpar a visão religiosa do indivíduo dentro de uma sociedade. A religiosidade é um bem imaterial e intransferível; é um principio de adoções e considerações praticas, e ainda teóricas, que se dão por condutas pessoais, as quais se transformam no interior de cada pessoa em algo "divino", sublimado,  abençoado e sempre cheio de qualidades referente a adoção do respeito humano, o que cumina em paz a todos!

Aquele que crê, e até mesmo o Ateu; pois este crê em não crer! Todos fazem parte de um mesmo princípio, ou seja: o respeito ao seu ideal religioso; assim sendo, torna-se inútil as palavras duras e cruéis contra a religiosidade de qualquer outro indivíduo, uma vez que cada pessoa é única assim como sua conduta na prática de qualquer religiosidade.

Não se deve agredir a religião ou o credo de alguém, pois ao passo que ocorre tal desrespeito, se fere o princípio básico de toda religião: a paz, deixando assim de ser religioso, o desrespeitador. O Homem que ignora e desrespeita a religiosidade alheia, torna-se um "pecador contra a paz entre os homens".

Nenhuma religião, nenhuma mesmo, prega o desrespeito entre os homens, em todas a busca é somente uma: o equilíbrio da energia corporal "Alma", para enfim poder encontrar o equilíbrio entre os homens de boa vontade; tornando-os racionais e respeitadores, e alguns realmente aderem tais princípios e se tornam aqueles que promoverão a paz.

É lamentável ver pessoas agredindo e sendo agredidas por simplesmente terem adoções religiosas diferenciadas umas das outras. Lembrai-vos sempre: Seres humanos são animais; mesmo que usem a razão, ainda assim serão animais classificados como predadores, com todas as características que lhes são peculiares. Logo a religião deveria funcionar como um grande ponto de paz intra-espécie-humana; e não como um ponto crítico de agressões verbais, guerra e desrespeito ao próximo. É salutar entender a si mesmo dentro da opção religiosa, pois aquele que assim o fizer, irá saber qual é o seu real motivo em qualquer religiosidade que seja: Paz!


Um grande abraço!
Postar um comentário