domingo, 21 de setembro de 2014

Até quando...



Espera

Enquanto meus olhos puderem enxergar a injustiça;
Não me peça para ser cega diante destas.

E se em minha pele chegar a prepotência dos tolos,
Não esperem me fazer  injusta!

Até quando a minha alma sentir a injustiça dos arrogantes;
Não me culpem por querer ser justa.

Enquanto minha mente souber o que é ingratidão;
Não me peçam para ser branda e conivente com isto.

Enquanto alguns seres humanos forem injustos e teatrais;
Não esperem jamais; que eu, concorde com isto!



Uma excelente semana a todos!
Um grande abraço!


Postar um comentário