Ensaios






Ensaio:17

A razão na existência

A vida é feita de formas, de sentimentos, de contradições. A raça humana, por não se conhecer profundamente, acaba por se tornar vítima de suas próprias confusões mentais. Vivemos de símbolos, reclusos em metáforas, impregnados por verdades mentirosas.

As formas pelas quais nós sentimos a vida ao nosso redor, são conhecidas como sentimentos. É complexo falar de tais sentimentos, pois estes, vão desde um simples ato de sentir uma "dor de dente"(é um tipo de sentimento palpável e comprovável a "dor"), até mesmo a uma dor imaginaria de um "coração "apaixonado" pseudo-sentimento.

O músculo cardíaco (coração) não doí, não é dotado de receptores para sentir a dor; no entanto, há quem afirme que o sentimento (sentir) vem do coração. Como explicar a "ausência" de neurônios no coração se seria este o mandante de qualquer sentimento "racional humano"? Coração não raciocina, a mente, o cérebro o faz.

O cérebro comanda a nossa grande maquina, o corpo. Esta é a única verdade em nós. Eis a chave para a grande questão. Coração é músculo cardíaco e dotado de incapacidade de sentir (comandar) a emoção "razão". O coração só bate mais forte porque estímulos cerebrais alteram a bomba de sódio e potássio que faz com que a pressão sanguínea aumente ou diminua. Ao coração, cabe apenas a função de bombear sangue e alimentar o corpo.

O ato de sentir, no entanto, se baseia em aspectos simples do comportamento humano vivenciado no dia a dia de cada Ser. Estes aspectos, por sua vez - são embasadas na capacidade de sentir ou não, tais estímulos externos. O homem é um animal; a vida humana pertence ao reino animal; e isto, não muda; todos sem distinção, o são! O que faz a "variável" Sentir, moldar-se a cada experiência vivenciada é justo isto, sermos animais.

Quanto menos se sabe como o corpo e amente funciona, mais somos capazes de sentir pseudos sentimentos. Lembrei-me hoje de certa vez em que demos estímulos a um rato em laboratório. Ao rato que recebia o estimulo a mente lhe beneficiou em guardar o caminho. Ao outro, sempre se perdia no labirinto que montamos. O meu professor, certa vez disse: Ele é um rato inteligente, sempre acerta! Hoje eu posso afirmar que não, ele não era um rato inteligente; era igual ao outro sem estímulos. Ele era apenas um rato treinado a sentir o caminho a percorrer. Somos seres treináveis mas nunca moldados e definidos para suportar ou entender os pesos e medidas vivenciados socialmente na palavra sentir.

A leitura é um dos componente fundamentais na criação do sentimento interior relativo aos sentimentos "imaginários" amores, paixões, desilusões, etc... Há quem garanta que leitores de romances se tornam românticos. Li isto certa vez em uma pesquisa, para mim um tanto falida a mesma. Discordo plenamente da posição do autor quanto a leitura neste caso.
A leitura pode influenciar certos sentimentos, como por exemplo quando lemos uma notícia trágica no jornal, temos imediatamente o sentimento da revolta com o ocorrido. Logo aquele que lê romances, trará em si maior visão dos aspectos "românticos", no entanto, não se tornará romântico apenas porque tem hábitos de ler romances.

Ser é bem diferente de Estar. A capacidade de sentir qualquer sentimento, vai alem das bases genéticas e o meio em que se vive; esta capacidade não é nata nem desenvolvida, ela é neutra em um dado desconhecido ainda de nossa espécie. Não digo aqui que os seres humanos não são influenciáveis, pois o são; mas afirmo aqui, que: os sentimentos sejam lá quais forem, não são influenciáveis em resultado de ser, mas apenas estar. Estar apaixonado, estar amando... O que não passa de um momento psicológico, um "pseudo-sentimento", uma falsa realidade em que o indivíduo se encontra, mas não o é. O tempo e o conhecimento é responsável por direcionar a espécie, homo sapiens, sapiens; as suas próprias bases do ato de sentir.



Como é bom ter no mundo as ficções e nem tudo ser somente a pura ciência, como antes já ouvi agora posso afirmar; não é frieza de minha parte, quando não posso eu afirmar as ficções da vida em uma série de comportamentos confusos e desconexos típicos de animais racionais. Ler um bom livro de romance já me foi boa pedida, hoje é só pesquisa comportamental.

Ensaio:016


O estupro das palavras

O poder dentro das palavras que somente os humanos estão de posse, está por dentro de seus mais profundos significado existenciais. É inadmissível aceitar que as palavras ganhem força e morram antes de suas principais bases; ou seja, o que está por dentro delas. Ao levar em consideração o surgimentos destas bases internas das palavras; nota-se o quanto elas estão sofrendo. Elas estão fracas, solitárias, a beira da morte;  as palavras estão sendo abusadas. E a vida somente se tornará mais leve quando as palavras forem bem acariciadas, manuseadas e deliciadas por seletos degustadores da alma.
As palavras não têm força alguma se não atingirem o que há de mais intrínseco dentro do homem. Incoerente é aquele que use sérias e frágeis palavras sem tê-las. O abuso das palavras tornou-se tão banal que palavras são estupradas todos os dias por qualquer pensamento mortal; por qualquer oral, palavras são mutiladas,  humilhadas de significados. São devastadas em um mal desigual; pobrezinhas das palavras se tornam somente  vítimas, fracassadas, cansadas e sem alma.
Feliz da palavra menos usada por seres humanos. Feliz dos sentidos que não enxergam as piores palavras, aquelas sofridas de abuso de gente! As palavras sofrem em suas almas. Palavras têm almas, mas somente até o momento em que são ditas em seu significado; pois após perderem suas almas se tornam apenas mais uma palavra estuprada pela humanidade. As palavras mais importantes estão presas na estante do pensamento e poucos ousam lhe entender a alma. Cervantes, usufruiu aos instantes as mais titubeantes palavras! E hoje é assim que vivem as palavras, despidas de suas almas: nuas, nas sarjetas, peregrinam vagas em qualquer lugar, palavras estão morrendo e ninguém está a notar!
As palavras perdem a calma, pois palavras estupradas já sobrevivem sem alma. E  o coração de cada palavra se cala no mais profundo silêncio da insignificância, pois é na palavra que mora o pensamento humano. É a palavra a única capaz de promover o tão esperado batimento cardíaco da alma. Palavras estão a beira da morte, infartadas de seus significados. É triste ver tantas lindas e importantes palavras sendo mal utilizadas "estupradas" todos os dias por significados vulgares, insensíveis, insignificantes, incapazes de traduzir e compreender a maior felicidade de uma palavra: ser entendida na alma daquele que a possui. As palavras precisam de significado real ou deixam de viver; as palavras estão a padecer. Salve as palavras!

Ensaio: 015
De banana à macaco se evolui


Não sou apaixonada por escrever crônicas assim como sou por escrever contos; mas hoje, quero escrever algo bem pessoal e ao mesmo tempo de todos nós, já que passo 365 dias por ano inventando histórias, hoje quero abordar um assunto bem real,  nada fictício. E se possível que esta crônica seja positiva e sirva para alguém, não interessa quem! É preciso na vida a entender muito bem. É preciso conhecimento para servir alguém! Políticos servem a sociedade e alguns o fazem muito bem; outros porém deixam bem aquém!
Este ano vi muita coisa incomum acontecer, e muitas outras até aparentemente comum vejo acontecer todos os dias e me pergunto: _ Será que outros estão vendo; bem,  a resposta eu não tenho; mas, que vejo além do espelho; isso, eu vejo!

Algumas pessoas existem no mundo de forma inconsciente, não entendem do que fazem parte. Vivem por viver, para viver; e assim, são sobreviventes de sobreviver. Se encaixam em qualquer lugar sem nada entender. Questões politicas, poucos podem saber. E para quem entende, nunca é interessante esclarecer. O silêncio é medonho, é triste de se ver! Mas você me diria, isso é comum todo mundo sabe! Eu lhe respondo, mentira! Se todos soubessem, não teríamos perdido a copa, e muito menos tido revoltas politicas em nosso país! É calado o sofrimento que sangra a nação de políticos imaturos de muita situação. Comprar, vender e ganhar o mísero pedaço de pão, assim vive a desmotivada nação. Desacreditam de tudo e de nada entendem não. É injusta muita situação. A saúde tem doença degenerativa e em estágio final está a educação. Cheguei a uma conclusão: políticos que não se sentem parte da sociedade, roubam as verbas que beneficiarão a população, viram parasitas da nação. Tristonha condição, homens desinformados governam a multidão. Não adianta só observar se não entender o ponto central da razão. É preciso sangue frio pra entender o quinhão. É preciso poesia na vida do cidadão!  

Os meus alunos me disse: _Professora se candidata! Eu os respondi: _ Não posso fazer isso não, tenho um nome a zelar, e cada dia que passa a política está a envergonhar os nomes que estão ligados a si. É verdade, eu trabalho muito, sou professora e tenho medo que me chamem de ladra! Se candidato isso tem  muita chance de acontecer. Talvez um dia eu me candidate, mas só o farei se realmente eu me sentir preparada para representar o meu povo, e por este mesmo povo não ser vista como hoje vejo muitos políticos de meu país. Como é rotineiro e sabido as negociatas que vemos todos os dias na televisão envolve o nome de qualquer um! Em cacho de banana podre, banana sadia sem preparo químico adoece! Estudar é um excelente preparo químico contra obediência cega às tradicionais formulas de lesar a sociedade.

O voto seria a solução! Mentira. Pensemos na situação. Para fazer uma operação o médico tem que aprender a operar, para aplicar uma aula o professor tem que estudar. Como votar se opção para tal anda escassa! Prática e teoria caminham juntas, é preciso praticar política e estuda-la. Não adianta votar sem ter opção válida. Estive em muitos momentos políticos de meu país este ano, li muito, fiquei de soslaio, a espreita em muitas ocasiões; e presenciei um verdadeiro show de profissionais de gestão pública sem se dar conta do que é gerir. Muitos não sabem o que estão fazendo, se sentem totalmente a parte da sociedade, como se não fossem os mesmos seres sociáveis.  Pessoas que não se importam com nenhum interesse que não seja os seus próprios. É por isso que nunca me candidatei a nada! E sinceramente não quero ser uma banana podre, logo agora que o meu país evoluiu para macaco!

É lastimável que em um país como o meu a teoria esteja distante da pratica e vice-versa. Sinceramente não entendo porque os políticos não precisam estudar "gestão publica da sociedade brasileira". Não existe lógica neste fator tradicional de politica caseira. Não sou a favor da elitização politica "intelectual", pode entrar analfabeto, mas que saia doutor em administração social! E se voltar, que voltem melhores do que saíram. Sou a favor de todo gestor público (político) ter que sentar em um banco de faculdade por quatro anos e estudar enquanto pratica a politica em um mandato para o qual foi eleito. Pode ser analfabeto, ganhou a eleição tem que estudar! Aprender a gerir a sociedade. Não é possível melhorar a sociedade se nossos gestores são na sua maioria "analfabetos" em uma boa administração social. Estão desqualificados. Entram e saem do poder sem entender o que estão fazendo; e voltam para o poder sem nenhuma qualificação, e continuam o que deveria ser uma administração publica de qualidade, sem a menor qualidade. Assim, passam anos na vida pública flutuando na inconstância das gestões inadequadas.

No parlamento, nas câmaras; no ambiente público político de meu país, ocorrem comportamentos primitivos. Não sou contra os corruptos, "coitados", eles são "vítimas" do sistema social que criamos, assim como os ladrões de galinha. Para mim, políticos corruptos equivalem a ladrões de galinha em granja e não no quintal. O ladrão rouba porque não se sente parte da sociedade proposta, então ele burla o sistema que acha incorreto, rouba, mata, pega para si o suor alheio, etc. O politico é corrupto pelo mesmo motivo! Ele não se sente parte da sociedade brasileira. Se ele se sentisse,  iria pensar duas vezes antes de negociatas inadequadas. Um pai por exemplo; ao receber o salário do mês ele faz compra para todos na casa, pois ele se sente parte daquele sistema e responsável por gerir para que nada falte a ninguém; mesmo com poucos recursos muitos arrimos de família fazem milagres administrativos.  O político precisa aprender a se sentir parte da sociedade; pois, daquilo que o ser humano faz parte, ele defende; zela e cuida, ele acredita em melhoras, e as faz! Mas, nossos políticos, "grifo aqui que poucos não o são", e estes nadam contra a maré da ignorância da gestão social; que não estão preparados para fazer parte da maquina do Estado. Eles não estudaram, e com isso não entendem que eles são o povo pelo povo; e se estão dentro do poder  e ainda não entenderam o que estão fazendo lá, precisam estudar!

 É muito fácil estragar um cacho de bananas com uma banana podre, principalmente se as outras bananas não forem tratadas com produtos que lhes impeçam de apodrecer. O ensino, a educação evita que o homem apodreça as suas ideias com qualquer outras que sejam inadequadas ao bem estar politico-social. Um bando de homens desinformados são perfeitamente domináveis por um único homem podre. Já homens bem informados se parecem com maruás, não se doma um homem esclarecido! Um "asno" é moldável já o pensamento é algo imexível! Ele é selvagem e independente de seu posto, prioriza o que lhe seja parte do todo. Políticos tem que se sentir parte do todo. Os que não entendem e não se sentem parte de uma sociedade não podem geri-la, não devem comanda-la, pois apodreceram! Todo homem que não entende a sociedade em que vive, tem em si a intrínseca tendencia vil de ir contra o ideal da sociedade. Por tal, roubam; administra para poucos, gerencia mal! 

Para criar pessoas de bem, estamos levando as crianças para à escola todos os dias. Porque então é desnecessário que criemos políticos de bem! É muito necessário. Políticos tem que estudar. Necessitam estudar! Pode entrar analfabeto, mas tem que sair doutor em outra coisa que não seja corrupção, tem que sair doutorado em gestão social, em respeito, em convivência de grupo, em sociedade. Um país não se faz só com homens e livros; um país se faz principalmente de homens que usam o que aprendem  nos livros! Quantos políticos de nosso país conhecem a fundo a atual constituição e estão preparados para elaborar uma nova; bem, eu não tenho nenhum nome no momento, talvez por isso todos os dias temos mais um remendo constitucional. O Brasil é uma criança, para gerencia-lo, faze-lo crescer, é preciso preparar pessoas adultas que cuide dele, com mentalidades adultas; com respeito ao próximo e que entendam que o bem próprio deverá refletir no bem comum da nação brasileira. 



Eu defendo escola obrigatória para políticos brasileiros, com média sete e meio no mínimo, ( sendo avaliado as suas práticas diárias de gestão e suas notas em provas teóricas) sob pena de perda do mandato e sem direito a provas com pesquisa em grupo! Pode entrar analfabeto, mas tem que estudar. Se todas as áreas exigem conhecimento, porque políticos ficaram de fora disto! Que o final de ano seja momento de reflexão pessoal e não apenas uma data cristã. Sei que muitos políticos dentro de meu país me acompanham leem o que escrevo. Agradeço. Alguns entram em contato comigo, agradeço vocês também! Saibam que este texto tem um único propósito, levantar a questão: cidadão informado é sociedade evoluída! Os políticos brasileiros precisam estudar, para assim, não se tornarem bananas podres especializadas em corrupções. Que os políticos um dia estejam nas mentes das pessoas numa ala diferente da ala dos ladrões. E que estes, possam se sentir e entender que são eles parte da sociedade brasileira, a ponto de fazer desta uma parceira, e não uma fonte na forma parasitária pessoal de crescimento particular. Só se torna importante, quem com outros se importam! 

Ensaio: 014
Músicas de final de ano

A vida depois das festas, dos consumos exagerados das pessoas, sem horas para acabar; em mim qualquer tempo é começar  sem jamais exagerar, tenho consumido muito nessa vida, mas não consumo coisas, consumo meu próprio tempo. No silêncio do qual sou amante, o mundo paira nos meus instantes onde adoro ler a vida. Eu; eu pessoa estranha que sou, cá estou sem ressaca nem pesar. Tenho bebido água para sempre com lucidez estar; e esta tão rara bebida é boa pra saciar! Eu ouço samba, bossa nova e qualquer música que tocar. Gilberto tem aparecido e eu sei lhe escutar. Caetano sou um tanto suspeita pra falar. Cássia, grande menina, pena aqui não está. Raul, saudade é o que há.

A vida! Começa depois da uma longa descida, haverá  um dia em que o som dos pássaros se assemelha ao som dos homens, e neste dia a gente entende que o melhor bem a ser consumido é o tempo. Tudo lento, e também a Beth, me veio, cantar. Na rua as pessoas lentas estão a passar. Beberam demasiado sem saber o que estavam a comemorar, era papai noel não se pode duvidar. Eu estranhamente nem me coloquei a lhes criticar, quem sou eu para faze-lo; ninguém. Mas não pude deixar de observar: as maravilhas de ensinamentos que trazem as datas festivas. 

Não, não, eu não vou dizer que papai noel não existe, seria terrível que as crianças pensassem isso da figura do Noel; mas, é uma pena que elas já saibam que o bom velhinho não é tão bom assim e discrimina as crianças e não lhes dão presentes iguais. Vi na rua uma menina que chorava pela boneca maior e mais bonita que a amiga ganhou de natal. Indignada a criança duvidava que papai noel era mesmo alfabetizado. 

_ Será que esse velho não entendeu o que eu escrevi e me deu essa droga! Ele não sabe ler!

As crianças estão a cada dia mais educadas! Talvez a fantasia seja preciso mesmo, pois a realidade é um tapa social na cara de muita criança; ou a realidade é que seja necessária mesmo, pois a fantasia ilude e ao mesmo tempo desilude as crianças. O pai da criatura, coitado, deve saber ler tanto quanto o bom velhinho, com certeza; pois, trouxe à ela uma boneca, que: não tinha nada a ver com a caríssima boneca descrita na cartinha endereçada à papai Noel. 

O patrão que pagou a ele, o pai, pagou só o salário e o décimo terceiro com o qual o pobre coitado do pai de família pagou as contas atrasadas, já esta guardando dinheiro para a bandeira vermelha da conta de energia de janeiro; guardou  ainda uma boa parte para pagar os impostos de 2015 que infelizmente o papai noel nunca paga para ninguém, fez a ceia com todos os genéricos possíveis, frango grande vira peru, e cidra sempre será Champanhe ou champagne;  e ainda com tal miséria comprou uma boneca "menorzinha" para tentar alimentar a ilusão da filha de que é ela íntima de papai Noel que leu sua cartinha. Bem, agradou a filha que agora duvida que papai noel saiba ler! Rotulou o bom velhinho de analfabeto. 
Final de ano é um aprendizado, é música aos ouvidos, para quem pode lhe compreender. 

No mesmo dia um bêbado sobrou na rua do outro lado de lá; e eu, do lado de cá! Upa neguinho na estrada, upa neguinho pra lá e pra cá, upa neguinho na estrada começando a andar; e eu, aqui a escutar, o bêbado que passa na rua, nada está a lhe faltar, já está rico, bonito e feliz; agora só lhe falta chorar, para o efeito da bebida passar. Vai adormecer na próxima calçada basta as pernas se cansar. 

A sociedade é uma graça, é a desgraça que nem tem preço no mundo desde o começo! É triste de se ver os homens em seu avesso. Menina que rejeita boneca por causa do preço. Papai noel analfabeto e um sóbrio ilustre senhor bêbado que desce as ruas do meu país. Acho a vida engraçada, mas que graça na vida há!? Talvez porque ouço Bossa nova e entendo porque Iracema voo, consigo rir ao lado de quem ficou. A desgraça não me chocará e nem nunca me chocou, meu pé neste chão sempre pisou, Dorival, Inezita, Rolando e quem mais já passou; ficou! As cações que nunca terminou.




Ensaio:013
Humanos exatos

Fazer um mundo melhor só é possível quando o Ser Humano é capaz de ser humanizado e todos os dias se humanizar, dominar a ti mesmo ao lado de todos os outros seres; sem ser ignorado; e sem nunca ignorar, o outro que esteja ao lado! Assim, o Homem,  ocupa, o espaço que lhe é dado! Na vida o pequeno homem se forma, para assim ser transformado. Numa legião de verdadeiros seres abençoados! 
As Leis de Newton já demonstravam o Princípio da Inércia.  Princípio Fundamental da Ação e Reação. É no princípio, é do princípio da vida que se dá a imensidão. Os abstratos mal entendidos, reúne os homens mal resolvidos.  A sabedoria é Divina, um  patamar há muito alcançado. Onde as feras se achegam, e são todos engaiolados! Dentro da ciência a vida é um acumulado. São pequeninas telhas que fazem os maiores telhados. 
As desigualdades devem ser vistas não com pena, mas com sabedoria, pois nem todos, possuem as melhores teorias. Logo, seja noite, ou seja dia, o homem Humano é capaz de Ser verdadeira poesia. Para isso,  deve ser exercitado, ou jamais será humanizado! O respeito pela vida é prudente entender, respeitar o outro jamais é padecer. Por isso, faz-se necessário, reconhecer as verdades alheias, ou o imundo fica preso dentro de uma falsa  teia. Nos olhos da vida; missão cumprida! Para todos que queiram enxergar onde ser Humano, é se exercitar.!
Oh, dia que regozija a certeza da plena certeza! Um domínio interior profundo. No saber de próprias verdades. Ignoram-se as adversidades, pois o mundo, somente é justo quando o homem descobre que só domina a si mesmo! O sonho da realidade, está em um simples valor. olhar por todos os seres humanos com o mesmo sabor. Olhar a eternidade, dentro da realidade, já  se fixou.



Ensaio:012


O ódio e a inveja

Odiar e invejar são sentimentos para específicos seres humanos. Dentro da natureza não há comportamentos semelhantes entre os animais ditos irracionais; entre eles toda a conduta e baseada no instinto de sobrevivência.  Não se vê inveja, muito menos se odeia entre seres vivos irracionais. Pois ambos os comportamentos que estes abstratos traduzem, não fazem parte nem mesmo da irracionalidade, sendo comportamentos pré-históricos apropriados por sentimentos e comportamentos "desumanizados" .

A palavra ódio, segundo o dicionário Aurélio de língua portuguesa, significa: (derivado do latim odiu), paixão que impele a causar ou desejar mal a alguém, execração, rancor, raiva, ira, repugnância, apatia, desprezo e repulsão (pág:1214). No mesmo dicionário inveja é: (derivado do latim invidia) desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade de outrem.(pág:964). Observa-se que ambas as palavras constituem-se puro e tão somente de abstrações mentais as quais advém  da conduta especifica e comportamental de cada indivíduo. Lembrando ainda que; a capacidade de se humanizar correlaciona o individuo a sua própria avaliação pessoal. Dai o fato de alguns seres humanos serem capazes de melhor se socializar,  o que se pode chamar de "pessoa resolvida".
Como se pode notar. Na vida é bom se lembrar! Só demonstrará o ódio quem com a inveja está a se acasalar.  O ódio é um abstrato de muitos outros abstratos mal compreendidos. Assim sendo, para executar o ódio e a inveja, deve-se, ser, um executor nato de abstrações negativas comportamentais; ou de modo algum, o Homo-sapiens-sapiens, se contaminará ao ódio e a inveja alheia; haja visto que: ambas dependem de como a pessoa se vê, conforme relata na explicação do dicionário acima subscrito estas palavras são sentimentos pessoais de auto reflexão.  São estes sentimentos humanos capazes de desumanizar as pessoas no processo de convivência comportamental social.
Pessoas humanizadas tornam-se imunes a inveja e ao ódio, ao desejo leigo;  pois são extremistas em si mesmas, ou seja, são pessoas resolvidas mentalmente em suas abstrações. Neutras a qualquer objeto em sua infinita compreensão, será o Homem que entender a toda a complexidade da razão, o vitorioso em si mesmo sem nenhuma desilusão! A virtude humana da afeição traduz o respeito pela multidão. Cada ser humano age em conformidade com os teus atos abstratos interiores; Até mesmo aqueles que agem pacatos; não se desapegam dos teus reflexos atos. Logo, alguém que odeia, na verdade tem paixão e ansiedade pelo objeto em questão, doando a este  todos os seus sentimentos, mesmo que deste nada receba! Na dose das dúvidas e das incertezas; a  inveja vem cravada na bandeja dos vãos entendimentos humanos, desumanizados independente do nível mental. 
O Homem inteligente desconhece os tolos pensamentos negativos, mergulha em si mesmo e encontra todas as respostas. Lê a vida sem vãos entendimentos. Faz do tempo o seu mais precioso bem. Desconhece as falsas e falidas verdades abstratas e repugnantes intempereis mentais humanas de seres desumanizados. A falta de humanização mata seres humanos em todo o planeta, todos os dias. Tantas certezas vazias, em uma multidão mutilada por sentimentos abstratos! Confusões mentais de puras incertezas, sem depurar as confusões humanas em nostalgias; traduz a certeza de pessoas incertas; fechadas, frias; e abertas para a desigualdade entre os homens de boa vontade!
Atingir algo ou alguém com ódio e inveja, é ato de desespero pessoal  total. Pois, o objeto para qual se destina tais sentimentos, desconhecerá o sentimento que lhe é dado; quando deste o valor do princípio interno e pessoal racional for baseado em respeito. Quando  o Ser humano é humanizado, é tolice enfrentar o desconhecido sentimento de uma mente Humana. É bobagem, doar sentimentos negativos independentes de quais forem! Pois as pessoas que respeitam as demais, doarão para todos o mesmo valor interno, ou seja, o respeito em existir.
Esta doação confusa que inúmeros seres humanos praticam todos os dias, é repulsa de si mesmo em um plano mortal. É ver a si próprio de forma banal. E doar sentimentos que só fazem mal para si mesmos! Pois somente aqueles capazes de não se entender serão dotados de desespero em si compreender ao doar sentimentos negativos no alheio. Ávidos de ilusões enganam a si e aos seus corações. Mergulham-se em jardins de flores murchas! Onde o cheiro da vida é o mesmo que o da morte; na inveja crava-se o ódio como se fora falta de sorte! Tornam-se homens sem norte. Embriagam-se na desvairada estupidez comportamental. Lobos de si mesmo, em comportamentos sem igual. Humanos desumanizados são de pouca estrutura  no comportamento social. 
Há uma frase que diz: "fala demais quem não tem nada a dizer". O silêncio é um abstrato profundo; é tão forte e tão exato, no ato real de quem possa lhe aprender. Somente o homem que entende as abstrações da vida pode se dominar e se vencer em si mesmo! Para tantos outros, resta o submundo da arrogância, da inveja, do ódio,  da morte em vida, das incertezas e do desespero na ignorância; distribuindo somente a ânsia na ganancia de ser compreendido. Homens que desrespeitam os outros são excluídos do direito de serem reconhecidos como seres humanos, independente do posto que ocupam no mundo. (Hitler é exemplo do que acima se pode citar)
Odiar e invejar é dom para aqueles que se desconhecem; invejar é a frustração pessoal apenas de pessoas que não conhecem os seus objetivos próprios; e odeiam por não se gostarem. E assim, almejam para si qualquer coisa alheia. O Homem, quanto menos for capaz de invejar e odiar,  mais  ainda se amará, mais humano se tornará!



Ensaio: 011


Se toda religião prega a paz, porque fazer guerras?


O Homem é o seu próprio templo. A falta de respeito humano pode chegar a deturpar a visão religiosa do indivíduo dentro de uma sociedade. A religiosidade é um bem imaterial e intransferível; é um principio de adoções e considerações praticas, e ainda teóricas, que se dão por condutas pessoais, as quais se transformam no interior de cada pessoa em algo "divino", sublimado,  abençoado e sempre cheio de qualidades referente a adoção do respeito humano, o que cumina em paz a todos!

Aquele que crê, e até mesmo o Ateu; pois este crê em não crer! Todos fazem parte de um mesmo princípio, ou seja: o respeito ao seu ideal religioso; assim sendo, torna-se inútil as palavras duras e cruéis contra a religiosidade de qualquer outro indivíduo, uma vez que cada pessoa é única assim como sua conduta na prática de qualquer religiosidade.

Não se deve agredir a religião ou o credo de alguém, pois ao passo que ocorre tal desrespeito, se fere o princípio básico de toda religião: a paz, deixando assim de ser religioso, o desrespeitador. O Homem que ignora e desrespeita a religiosidade alheia, torna-se um "pecador contra a paz entre os homens".

Nenhuma religião, nenhuma mesmo, prega o desrespeito entre os homens, em todas a busca é somente uma: o equilíbrio da energia corporal "Alma", para enfim poder encontrar o equilíbrio entre os homens de boa vontade; tornando-os racionais e respeitadores, e alguns realmente aderem tais princípios e se tornam aqueles que promoverão a paz.



É lamentável ver pessoas agredindo e sendo agredidas por simplesmente terem adoções religiosas diferenciadas umas das outras. Lembrai-vos sempre: Seres humanos são animais; mesmo que usem a razão, ainda assim serão animais classificados como predadores, com todas as características que lhes são peculiares. Logo a religião deveria funcionar como um grande ponto de paz intra-espécie-humana; e não como um ponto crítico de agressões verbais, guerra e desrespeito ao próximo. É salutar entender a si mesmo dentro da opção religiosa, pois aquele que assim o fizer, irá saber qual é o seu real motivo em qualquer religiosidade que seja: Paz!


Ensaio: 010

O dever e o silêncio



Quanto mais a maldade é mostrada, menos os homens se sentem a vontade para fazer o bem, pois a ruindade humana faz muito sucesso entre todos. Todo tipo de atrocidade nova, renova as ideias mais profundas de prazer medonho, aquelas que se guarda no vazio existencial da mente primitiva irracional. Olhar o outro e ver coisas boas, chega a ser desgostoso  para as mentes vazias de racionalização humana. 

É preferível o silêncio de homem, a sua contribuição para a ruindade humana, pautada na exaltação, divulgação da maldade alheia. Ao homem inteligente cabe olhar cada atrocidade de modo indiferente quanto a exalta-la; porém em silêncio descrimina-la e fazer com que esta morra junto a gloria de seu feitor. Calar-se diante do injusto é fraqueza, ser fraco diante da maldade é ruindade! 

Não é necessário pactuar de ideias medíocres, nem mesmo precisa o homem, ser mediano com o seu dever diante das maldades alheias; é preciso saber lutar. O cuidado em não dar a estas atrocidades primitivas o papel de destaque, já é por si somente um dos mais sábios caminhos para combater a crueldade desumana e dar ao homem o seu maior motivo de existir; a razão. 



Uma vez que, maldade sem plateia é caçador sem troféu; ruindade sem chorro é fracasso do pseudo-forte, sem nenhum véu. O olhar avante entre o contentamento e o descontentamento da existência, perdura a paciência de quem  sabe bem o seu dever! Tomba a maldade desumana a quem procure ela compreender. O dever e o silêncio são amigos da sapiência, é sabido da cautela que se vive a inocência; ao passo que faz da vida exaltação nas maldades e maledicências no combater as crueldades.


Ensaio: 009


Um lugar blindado

Há um lugar seguro. Tão distante, bem perto, de certo à quem o sabe ter; e sem nenhum muro qualquer um pode o seu ver. Um sonho de lobos; puro no entardecer, sonho seguro é o lugar dentro do Ser. Um lugar tão seguro que dispensa relicários; se molde de aparência pura e simples da essência que ninguém pode tocar. Ao caminhar nos vales das sombras humanas há mais segurança  do que se possa imaginar. Existe uma grande fortaleza impossível de penetrar.

As pessoas estão caladas e não fazem mais questão de chorar; falar é futilidade a quem possa lá estar; existe este lugar! Complexo no homem é o imaginar;  quanto é denso e tão frágil este lugar. O mundo que o canta e encanta é seu mais seguro lar; todo ser que se entende passa por lá; reside neste lugar. Lá todos os homens se despedem do pouco que são as vestes da claridade dos dias; mergulham em águas profundas com toda maestria. 

Na escada dos pensamentos tão somente não será em vão, obter sem sofrimento a danada condição; interpelação para a profundeza existencial; uma solidaria conformação além do tempo, espaço e corporal. Tão seguro é o lugar que só ti coloca-lhe a mão. Mesmo que lhe rondem sombras numa noite de aflição,  mesmo que os dias lhe sejam de profunda contradição, há um lugar seguro onde ninguém coloca-lhe a mão!



Em tempos de frieza entre o existir e o ser humano, é comum que exista tantos lugares inseguros; mas, neste lugar, nenhum tipo de gente pode adentrar. É específico e tão singular; pertence de forma exclusiva a  quem lhe habitar; independe  dos acertos e das falhas, o ato de lhe galgar; é um seguro e exclusivo o lugar, onde apenas um único Ser pode estar; é seguro, dentro de sua alma. Homem, mortal algum, poderá lhe alcançar. Não há quem possa neste lugar blindado adentrar, segura alma.

Ensaio: 008

Direção Humana

Quando um homem guia os seus próprios passos, deve preferir passar por vendavais, ou nunca entenderá o melhor dos caminhos, pois tudo é dois. Aquele que não souber entender a vida dentro de sua própria simplicidade interior; não poderá ver a complexidade do Ser Humano, torna-se-a cego, e não poderá lutar a seu favor; nem contra aqueles que lutam contra si mesmos, na inocência e sem notar acham que estão a atacar o outro. Somente possuem uma direção, os homens capazes de vestir-se de suas almas; e nunca temer a sua própria sombra, ou a sua luz. A vida e simples. E nela conduz. Embala os sonhos. O homem que sempre produz.
Não terá jamais nenhum objetivo verdadeiro e eterno ao alcance de sua mira, o homem que se vale de violências, prepotências e mentiras sutis, irônicas simplistas e tão bem vistas. Com o passar dos anos se tornará um ser humano amargo, dotado de fadigas mentais as quais o transformarão em alguém que julgue todos os atos alheios; mas nunca os teus próprios. Assim, nasce os homens injustos e doentes sociais. Num expressar enfadonho. Homens primitivos enraizados no instinto animal são sempre iguais. Destroem-se enquanto dormem; em seus próprios olhos sempre jaz. Um ser humano bem instruído sabe que silêncio nunca é demais; pois apenas a irracionalidade faz barulhos banais! Pobres são os homens que querem que todos lhes sejam iguais; não aceitam os outros e lhes julgam por demais. Inútil é acreditar ser superior aos iguais! Os homens que se respeitam; não apenas sobrevivem, mas vivem muito mais!
Aqueles que se acham superiores, se destroem com palavras que ficam guardadas apenas dentro deles mesmos; pois a pior irônia do pensamento humano é acreditar que uma única flecha atinge duas direções; porém uma flexa com direção pode atingir o centro de um grande tabuleiro onde existe várias camadas, mas o alvo é apenas o centro, onde a flexa completa a realização de uma longa tragetoria em que corta o vento e repousa no alvo. A vida é um todo; o dia completa a noite; a sombra se apaga na luz. E o homem sábio sempre se conduz. Seduz a eternidade diante dos olhos que não buscam apenas as vaidades e se esquecem de suas proprias verdades. Realidades. Seres humanos repletos de humanidade. Assim, se constrói uma verdadeira sociedade que ultrapassa os limites da razão dentro da direção de um Ser que prefira sempre ser racional, ser; um Ser Humano!

Ensaio:007


Dona Felicidade
Em um lugar não muito distante havia um homem; todos os dias ele acordava disposto a encontrar a felicidade; eram tantas as tentativas que: ele perdia-se em meio a muitas vaidosas felicidades. Um carro novo, um novo navio; comprou o Sol, comprou a Lua; tudo no jeito era pretexto para ser feliz, quem nunca assim quis? E o mundo multiplica o infeliz! Era só um momento e a felicidade estava por um triz; o homem comprava até vento, mas precisava ser feliz!
Quando pensava na tristeza tinha pavor de saber que a alegria poderia não ocupar-lhe o lugar, mas como encontrar, onde estava o maior estoque de felicidade? De tudo sentia apreço, por nada sentia saudade, um breve e doce momento: poderia ser a felicidade. Eram muitas as formas as quais ele conseguiu estabelecer para ser feliz. Todos os dias comprava a felicidade. 
Dito que a felicidade chegaria em uma cidade vizinha o homem foi conferir; pegou o seu jatinho particular, uma grande maleta de dinheiro, e foi comprar a felicidade. Era a única formula que ele ainda não havia comprado, era uma felicidade nova no mercado das felicidades, e  nem ele próprio sabia a procedência ou mesmo o que seria a nova fonte para ser feliz; era só compra, era só pagar!
Quando chegou a cidade foi logo avisando, detesto a tristeza, nasci para ser feliz, vim comprar a felicidade e leva-la para casa comigo eu sou o dono da felicidade, não importa o preço. A multidão que estava na praça esperando por Felicidade, observou o grande homem que vinha comprar a felicidade com um espanto terrível, ficaram todos chocados; pois o audacioso falava em comprar uma bela donzela: a filha do prefeito, a senhorita Felicidade Feliz dos Sorrisos Risada; era a filha do prefeito que acabava de chegar na cidade. O prefeito ao ver aquela presepada, foi logo dizendo:            - minha filha não tem preço!       O homem, compulsivo cronico por felicidade, indgnado abriu a maleta e mostrou ao prefeito os muitos Euros que trazia; e foi logo  dizendo: - de onde veio estes eu lhe trago mais quatrocentas maletas iguais.
O prefeito quando viu aquele tanto de dinheiro e mais quatrocentas malas repletas de Euros logo por vir, já pensou em comprar a cidade para ser feliz, enfim seria prefeito eternamente de sua própria cidade; sendo assim disse ao comprador de felicidade: - Negocio fechado cavalheiro, leve a Felicidade com você!
A moça muito humilde acatou a ordem do pai e seguiu com o homem. Neste dia ele era só felicidade, pois a filha do prefeito era linda, tinha um corpo de suvenir, abria-lhe a porta dos prazeres a todo o momento; era sem dúvidas o melhor negócio de sua vida, finalmente ele tinha comprado toda a felicidade do mundo!
Algum tempo mais tarde o homem ainda era milionário e casado com dona Felicidade, mas nem tudo era tão perfeito mais, pois o homem desconhecia o termo realidade. Felicidade, a esposa, continuava ainda bela, o corpo ainda era fonte dos prazeres, e com tantas técnicas modernas de estética corporal, a esposa agora era bem mais bela que antes. E os carros novos ele ainda tinha, e onde quer que se vendesse felicidade lá estava o nobre homem para comprar mais uma vez. É fato, virou fregues da felicidade!
Um belo dia da janela do escritório,  o nobre milionário compulsivo, viu uma mulher: ela estava suja, mal vestida, cabelos esfarrapados, e olhos vesgos, esta criatura ria abundantemente lendo uma notícia de jornal velho de rua. Na mão esquerda trazia um cafezinho que havia ganhado do dono do bar, pois não tinha dinheiro para pagar o cafezinho, afinal era 50 centavos um mísero copinho de café; havia ganhado uma sobra de garrafa. Achou um velho jornal rolando ao vento pela rua e saiu lendo e tomando seu cafezinho. Ao passo que ia lendo, enquanto deambulando e bebericando o café, caia na risada! Era uma rizada profunda, aquela que sai espontânea sem que se espere o motivo e assim ela continua; era a risada dos pequenos seres, risada ao veres, os simples prazeres. Eram muitas rizadas!
O homem ao ver aquela cena se desesperou, saiu do escritório carregando em uma mão o cafezinho, na outra trazia o seu  tablete no qual ia lendo o jornal do dia, e atento aos números da bolsa de valores. Foi atrás da mulher para adquirir aquela felicidade que ela carregava, pois sorria de forma tão natural e gostosa, sorria muito e motivos nenhum teria para tanto; logo o homem pensou: nada mais prudente do que comprar aquela felicidade toda, era justamente esta que lhe faltava! Saiu correndo atrás da mulher e gritando: - Senhora espere, espere eu preciso ser feliz! 
Logo alcançou a andarilha, e já foi  dizendo: - Senhora quero tudo, tudo, tudo; todo o estoque que a senhora tem ai de felicidade de qualidade, eu pago bem. Eu sou um milionário muito bem sucedido e feliz; coleciono felicidade e vim comprar a sua! Como a senhora é pobre e precisa de dinheiro eu lhe pago em moeda viva. E se a senhora for esperta  me vende e compra outra felicidade para seu uso pessoal. É um bom investimento. É melhor a senhora me vender, pois assim, terá capital para comprar mais felicidade do que imagina!
A mulher olhou para o homem e sorriu mais ainda, riu tanto que o resto do cafezinho derramou no chão da rua; eram duas gotas apenas, mas foi uma perda significativa. Nem por isso deixou de sorrir, continuou sorrindo demasiadamente, desfalcada de duas gotas de café.
 Enfim a mulher responde: Não vendo e nem compro a felicidade senhor, a que tenho me basta; mas caso o senhor queira saber de que estou rindo tanto e tão feliz da vida é só ler no jornal que o senhor vai rir também. Oiá aqui que absurdo de engraçado, lê o jornal, lê, vamos, lê, é veio, mas a noticia é uma boa piada!
O homem curioso e viciado em felicidade, toma o jornal das mãos da mulher e lhe entrega cinquenta centavos para repor o prejuízo das duas gotas de café;  já era uma boa esmola. A mulher alarga o sorriso mais ainda e feliz da vida sai em busca de mais um cafezinho fresco. A manchete de jornal, largamente estampada dizia:  _ Prefeito morre de tristeza ao vender a Felicidade e o comprador compulsivo já nem sabe mais como ser feliz com ela!

Ensaio:006

Leveza interior


A leveza interior de um ser humano, é aquela que seu corpo dispõe ao deixar-se preso em todos os banhos de paz. A leveza estará em águas interiores por onde se passou  enquanto buscava-se as respostas na sabedoria!
A paz é fruto da sabedoria do indivíduo; o grito é falta de paz. O mais inteligente dos homens sabe que nunca será suficiente o seu conhecimento; este, fala sem se apossar da razão do outro e nunca impõe a tua. Assim, jamais obrigará ninguém a dar-lhe o que não é teu, e nunca dará a alguem o que não lhe pertença! 
Em sua infinita batalha compreende o que é a união da sabedoria e do infinito das respostas. E quando caminha a passos largos; percebe o quanto já teve que percorrer  pequenos passos sem notar o caminho. Assim aprende-se a caminhar com leveza.
Nenhum homem prudente acredita em si mesmo cegamente; menos ainda, deverá acreditar em todos os outros homens; principalmente naqueles que precisam gritar desesperadamente. Aqueles que necessitam ser aceitos a qualquer preço não se banham de boas águas interiores; por isso precisa tanto de novas águas!
A  busca pela inteligência racional e pelo conhecimento é infinita e inatingível, e jamais pertencerá a algum indivíduo sobre a terra! Conhecimento, inteligência e sabedoria é individual e intransferível em sua essência; é viver dia após dia e entender tal condição de necessidades humanas!
Tornar-se-a feliz, o ser humano que: perceber o grito do avido por respostas; e, souber então, silenciar-se quando entender o porque do grito grave e descompassado com ritmo da paz, pois o homem leve em seu interior prefere silêncio  humano. 
Se tornará contente aquele que vê a face do descontente e lhe entende em plenitude de respeito; e não com: revoltas de mesmo descontentamento, pois, só assim, terá sempre sorrisos verdadeiros e não julgamentos aos alheios motivos do pesado fardo interno! 
Se sentirá realizado, na leveza do ser aquele que: souber diferenciar as diferenças entre os seres humanos e respeita-las por pura vontade própria. Pois, para este Ser Humano, a leveza interior e a plenitude mental é estável e duradoura.

Ensaio: 005

Porque somos animais!


Quando um homem é capaz de compreender o despertar do amor e o ódio, dentro e fora de seu universo; ele está no paraíso. A vida começa a transcorrer de forma lenta e deliciosamente singela, numa paz profunda; tudo muda. Ele namora o tempo, sente cada ligação que se faz ao seu sentimento. E assim, todos são vistos, e bem quistos; deseja a estes um mundo de paz e felicidades, ignora as maldades e vaidades. É sempre bem vinda toda a humanidade que seja de bondades, desrespeito, indiretas  e maldades, pois é justo por isso que somos animais e assim aprendemos muito mais! Seres que se humanizam desprezam atitudes banais, letais, mortais, pois sabem que estas pertencem aos mais primitivos animais.
Seres humanos; os predadores racionais, como estes não há outros iguais. E assim, um homem se cobre de sua eterna metade, beija na boca das vaidades, levanta e vai embora quando aprende com as atrocidades dos homens que amam o ódio humano. Não há violências ou lamentações para o homem que entende o amor como a própria morte; e assim, chora se tiver na mente um norte, pois entende sua própria sorte de amor profundo e inexplicável. Abranda o homem sábio, todos os corações que não tiveram a mesma direção! 
Os homens estão dentro de seus olhos, e lá eles são os animais que são!  E estes olhos são as mais belas imagens que o tempo poderá guardar, e não se vão com a morte, e nunca irão se fechar . Os olhos de uma fera nunca mudará. E o amor que lhe ama, eterno em ti será! Está diante de sua  morada, lá está a alma repleta de paz e aflição na sempre desejada missão;  atada ao fogo de uma imensa paixão que ultrapassa os limites físicos, sem coração; a vida é oposto da ilusão. Está diante de teu espelho; num mundo repleto de crueldades, é possível conhecer verdades; incógnitas jamais desvendadas em simplificadas maldades, moldadas por homens covardes, abraçados à conversas desvairadas e  vaidades fabricadas.
Humildes se tornam majestades; pessoas humanas de verdade, sem falsidades ou maldades, dosadas do seu melhor no seu pior; mas apenas quando estes tenham dignidade para entender as faces de suas próprias vaidades, e podem entrar e sair de qualquer atrocidade; pois todo homem é um ser humano, dotado ou não da razão que ultrapassa o limite dos sentimentos, onde se une o mundo no infinito que abranda os pensamentos; e assim o respeito tornar-se-á  sinônimo de amor repleto e bonito!
E lá está, sem ver o tempo passar; de frente a sua metade, e sorri do grande amor no infinito das possibilidades, ele é a verdade. És  belo, é o mais bonito; o homem mais poderoso do mundo se descansa diante da violência daqueles que jaz, é sempre firme e não volta atrás; é o amor entre os imortais. E assim, sem nenhuma violência os homens entendem o que lhes pertencem e caminham bem mais; vislumbram-se na inocência de um grande amor em busca da paz!
Na intensidade do mais verdadeiro de todos os sentimentos; onde o amor e o ódio são fundamentais, porque somos animais. E assim, se ensina os homens muito mais! A um homem, ser o melhor de si mesmo nunca é demais! E no tempo, ouve o barulho do mundo lá fora, em silêncio profundo aprende e ensina a todos porque tantos choram! A alma que ama, permanece no paraíso do breve silêncio que lhe envia a mais doce melodia e lhe dá voz neste dia. Num passe de mágica, nas palavras de um grande homem, o mundo gira no ângulo da paz e assiste ao amor dos deuses para os mortais!
Calada a alma clama,  em um som profundo na busca do despertar das melhores faces humanas; na mais envolvente das melodias enviadas de um ser a um ser, para ser, do ser, no ser; pra ser e sempre ser. E por fim, entender a função de amar o que navega dentro dos olhos do homem ser humano. Somente os sentimentos do homem que ama transforma-o no maior dos homens. Ah! Quisera, o mundo entender o amor de um grande homem; perceberia que um homem grande é simplesmente a perfeição do amor de um ser humano; que entende, o amor na grandeza humana do respeito; porque somos animais!

Ensaio: 004


O egoísmo gera o  Egoísta cego


É interessante ver o quanto é possível ser egoísta sem saber que se é. Muitas das vezes não se  pensa nas palavras abstratas. E por não se preocupar com tão significativa parte da vida: os abstratos,  adentram nas entranhas humanas e lhes corroem na mais cruel abstração do   egoísmo; ou    seja, achar   que: "Eu não sou egoísta!" "Eu sou o ser perfeito!"; assim, torna-se-a o mais cego egoísta de todos, e sem a menor noção disto! "O homem é o exercício que faz" Raul Seixas.


Segundo o dicionário Aurélio a palavra  Egoísmo quer dizer: amor excessivo ao bem próprio, sem consideração aos interesses alheios; exclusivismo que faz o individuo referir tudo a si próprio; egocentrismo. Doutrina que considera como principio explicativo dos preceitos morais, e como princípio da conduta humana moral o interesse individual. Amor exclusivo e excessivo de si, implicando na subordinação do interesse de outrem ao seu próprio. Egoísta, é quem demonstra egoísmo.


Quantas mentiras sociais advém do egoísmo particular de cada pessoa. Por sorte egoísmo não é doença; caso fosse, estava toda a população terrena, animal humano ou não, todos, estariam doentes. O egoísmo advém de um principio primitivo que gera todos os padrões de comportamento animal.


Trata-se do principio de sobrevivência. A sobrevivência é egoísta, ninguém sobrevive por outrem, a vida é possível pelo corpo que se tem, pois sem ele ocorre a morte. O corpo é o templo da energia humana que se liga ao ar; a "Alma".  Apenas  vive e morre em um corpo específico o qual se nasce com ele; e nele se vai. Egoisticamente  nasce e egoisticamente morre!


Somente se faz para si o principio da vida egoística e solitária. Cada ser humano sobrevive em um corpo próprio o qual ele irá fazer a sua base comportamental para todo o restante da vida. E por não conhecer outro templo além do teu próprio corpo, o homem acaba por tornar-se egoísta nato e cego. A qualquer animal é esse o motivo, sobreviver em teu próprio corpo, a gênese de sua conduta comportamental é reflexo de sobrevivência. Em alguns seres humanos este reflexo e trabalhado, mas somente quando há a consciência do próprio individuo a despeito do seu egoísmo, egocentrismo, narcisismo etc...

Aquele que mais foge de se ver egoísta, mais egoísta se torna todos os dias, pois vai perdendo a noção do egoísmo essência, ou seja, sobrevivência. Este Ser Humano incapaz de se avaliar como egoísta é capaz das mais ingênuas e ridículas atitudes de egoísmo, como por exemplo: sentar-se na cadeira do idoso, fechar alguém no transito para chegar mais rápido ao trabalho; chupar o ultimo chiclete sem oferecer a ninguém, ou ainda escondido; pegar o maior pedaço de carne na panela ao invés de corta-lo ao meio. Ter uma vida a dois conturbada e infeliz só por achar que é aquela a pessoa a qual se "ama", pois o sexo vai bem e a convivência é cômoda, logo o egoísmo diz: está tudo bem! Empurrar as pessoas na fila do ônibus para pegar lugar pra ir sentado e não se incomodar com as próprias pernas! Ver alguém feliz e lhe contar tragédias para tirar-lhe o sorriso do rosto, esse comportamento geralmente vem seguido da inveja e frustração pessoal. Desvalorizar o serviço de outra pessoa para engrandecer o seu próprio. Falar mal de alguém só para não ficar calado. Ou ainda para não se sentir em silêncio sozinho conversar com quem está fazendo outra atividade e não está disponível para conversas. São tantas as formas egoístas de sobrevivência que daria um livro composto por inúmeras páginas comportamentais ridículas do cotidiano; comportamentos estes que ocorrem todos os dias em qualquer lugar e passam desapercebidos. 
A vida é única e ninguém deve desperdiçar a chance de se ver em seu próprio espelho. Se achar egoísta é primeiro exercício a ser treinado dentro da melhoria comportamental humana. A frase: "Dois bicudos não se beija" traduz exatamente o principio de "ego" acima: egoísmo!  Dois bicudos na verdade são duas pessoas exatamente iguais, quanto ao egoísmo; e elas existem! Pois todos são egoístas nato pela sobrevivência; porém alguns se exercitam mais; outros menos; e outros se acham perfeitos; estes formam o grupo de egoístas cegos. Quando seres humanos  se exercitam menos, surge a frase dos bicudos!
O egoísmo está em tudo, em toda parte, nos mínimos gestos e até mesmo dentro dos gestos que mais parecem generosos. Certa vez estudando história e analisando comportamentos de reis e rainhas, foi lastimável ver que o rei era tão generoso a ponto de dar o primeiro pedaço do bolo para um provador; na verdade, a generosidade era o egoísmo pela sobrevivência, em caso de bolo envenenado o rei não morreria, e sim o "sortudo" que provava antes do rei.
E então dirás, a morte é egoísta! Sim, pode ser inclusive um altíssimo grau de egoísmo.   Há suicidas! Além dos aspectos psicológicos doentio que um suicida pode estar vivenciando, neste não se aborda fatores de saúde mental. O suicida morre por um dos maiores egoísmo que existe: provar da morte ao prazer de se solucionar como pessoa e assim mostrar para os outros a sua egoística certeza absoluta . Há oito anos atrás uma noticia de jornal dizia: "Mulher, mãe de dois filhos, depois de ser abandonada pelo marido, põe corda no pescoço e pula de árvore, deixando um bilhete que dizia: Olha o que você fez com a nossa vida!"
Quer egoísmo maior que tirar a própria vida, não dar a mínima para ninguém, nem para os filhos, os únicos seus de verdade, pois tinham seu sangue. O escorpião é um animal semelhante a este comportamento humano, pois ele se mata quando lhe convém não morrer por outro; ao sentir a morte, o escorpião se mata. 
A "mulher escorpião" que se enforcou, não reconheceu nem mesmo o próprio sangue que deixava para traz, dentro dos filhos, em corpos que não eram o seu, o templo desta mulher não era reconhecido, logo em seu pensamento egoísta, os filhos ficariam bem! E ela, poderia dar uma definitiva "lição no marido"! Este um tipo de egoísmo cego ao extremo.
No egoísmo imaginário é exatamente assim: morta, promovendo o eterno remorso do marido para com os filhos e com ela. Encontrou a saída para satisfazer a sua vontade de estar "presente" nos pensamentos e na vida do marido que lhe abandonara. Se matando ela "estaria "para sempre no peso da consciência do esposo.
O egoísmo é uma água que se bebe todos os dias. Porém há seres humanos capazes de se ver egoístas, estes acabam se tornando menos egoísta . É como um diagnóstico de uma doença degenerativa. Se a pessoa sabe que está doente, ela trata a doença, se ela não tem noção disso; ela ignora e se torna um cego egoísta ao longo de toda a sua existência.
Mas o egoísmo não tem só o lado ruim não; para tudo existe dois lados! Há egoístas capazes de atos egoisticamente maravilhosos e dignos de todo o respeito. Vejamos as mães egoístas, querem os filhos para si eternamente, lhes cuidam, lhes protegem, valoram o ser humano! Ainda há aqueles homens que gostam muito de jogar futebol. Eles não ficariam sem jogar de forma alguma! Com isto eles convidam "qualquer um" já que não há próximos e o time não está completo; eles convidam uns aos outros  para entrar na partida e completar o time; mas sem jogar eles não fica! Jogam com estranhos mas jogam. O egoísmo favorável, pode ser benéfico pois fala mais alto e promove a socialização e convivência em grupos humanos.
Ainda existe aquelas pessoas tão egoístas que não conseguem ficar sozinhas, e que querem todos os amigos do mundo para si; geralmente estas pessoas adentram as comunidades. Estas reúnem várias pessoas em um mesmo local e promovem mais convivência humana, e isso é saudável. Não esquecendo o "humano" egoísta financeiro, este é uma faca de duplo corte quando  é extremista e quer todo o dinheiro do mundo para o seu bolso. Ele não pertence ao lado "bondoso" do egoísmo, embora ele construa grandes empresas e dê milhares de empregos para muitas outras pessoas.  É bom socialmente falando, porém há o desequilíbrio social-econômico promovido pela má distribuição salarial.
Egoísmo e sobrevivência são duas palavras que caminham na mesma direção, é inevitável. Se existe a última gota de água e duas pessoas estão morrendo de sede; se uma  delas ceder a gota de água, é relevante pesquisar o porque. O obvio, as vezes parece absurdo demais, mas o  motivo poderá ser levado neste raciocínio comportamental: Se só existe uma gota, outra não haverá para continuar mantendo a vida, logo pra que continuar vivo e morrer depois de tanto sofrer! Entrega-se a gota de água, garante a paz interior para alcançar um bom lugar após a morte, pois acaba de fazer uma caridade ao próximo, ou seja, não foi egoísta, cedeu a gota de água a alguém que estava morrendo de cede. O egoísmo por um bom lugar no além morte falou mais alto que o medo de morrer. Sem contar ainda que: a partir do raciocínio lógico "escorpiônico" ao sub consciente dirá:  _fique com esta ultima gota de água, eu estou livrando-me deste sufoco aqui mesmo! Morro logo, garanto um bom lugar lá em cima! Morro agora que é  bem melhor para mim!
O ser humano nasce egoísta! Vive intensamente o lado negativo do egoísmo se quiser! E morrerá egoísta mesmo que não queira! Pois a sobrevivência já é um ato egoísta. E a morte é o selo final de todo o tipo de egoísmo que se viveu! É melhor assumir o egoísmo, pois os abstratos incompreendidos se tornam  armas letais nas mais inocentes atitudes humanas-desumanizadas.


Ensaio: 003


Grandezas no homem



Os grandes homens, são feitos de pequenas grandezas interiores, ao passo que tais se somam; surge os maiores dentre os maiores homens! E assim, a grandeza de ser um ser humano prevalece entre aqueles que se distinguem dos demais não pela força que possam exercer sobre os outros; mas sim pela força que exercem diariamente sobre si mesmos! Dentro das concepções cotidianas, aceitar as diferenças é parte de uma das maiores grandezas interiores que o homem pode desenvolver. Ao passo que no compasso acerta o passo de ser e ter, prevalece o compreender do todo a sua volta. Não desgasta-se no tempo, nem promove sofrimento o homem que carregue em si o contentamento de existir.


Um homem que sabe lidar diariamente com seu pior inimigo é aquele que todos os dias se olha diante do espelho. Não há inimizade pior para um homem que a sua própria intolerância para com as diversidades humanas comportamentais existentes sobre a face da terra. Feliz é o homem que assume quando erra. Racional é aquele que sabe ser humilde quando não precisa. Viver é estar além das montanhas da mente. É ser condolente como brisa. É derrotar as tuas próprias friezas! De nada vale ser grande aos olhos dos outros se dentro de si mesmo não há grandeza alguma. Homens tolos constroem castelos exteriores, homens sábios não se contentam com tão pouco.


Certa vez um homem comprou um carro, ali se realizou. Outra feita, comprou milho e fez bela colheita; mais um que se realizou! Tempos mais tarde um outro homem tinha carro e colheita, mas tinha também o pior dos inimigos: aquele que não se enjeita; era ele o próprio inimigo que se peita. Tentou comprar novos carros, mas nem uma concessionária o daria grandeza, nem todas as fazendas do mundo lhe daria suficientes colheitas para ser do tamanho que desejava.


Foi assim que percebeu; lhe faltava a maior das grandezas que se pode ter um homem: aceitar-se como o um ser qualquer, amar a grandeza que em si tiver! Felizes são os homens que entendem o que quer. Assim, aceitam diferenças vier, entendem posições, aceitam o que são os outros, sem invejas ou confusões. Sem se aceitar, homem nenhum é capaz de compreender o próximo; muito menos a si mesmo entender! De tal modo tudo sempre será  vazio à aquele que não desenvolve as suas grandezas interiores, não importa o que se tenha, mas sim, o que se deseja de si mesmo. 

Ensaio: 002


A Arte


A arte é viver a parte da vida que não se pode deter em nenhuma ciência. A liberdade é por si somente a mais bela forma de prisão; estar livre é uma arte. Todo homem livre é preso por vontade própria em sua liberdade. A condicional humana da existência é fruto de paciência e não da decadência moral, a qual muitas das vezes vem embutida num desrespeito profundo do homem para com o homem. Numa guerra sem fim, na qual o ódio e a inveja destroem a parte mais racional do ser humano: sua calma e sua razão.


Apetece a vida o Ser Humano que vislumbre o novo sem desvalorizar o antigo; respeitando todos, pois a vida jamais é feita de passado somente; nem mesmo de futuro apenas; tão pouco de um simples presente; a vida e arte são eternas das três patentes; passado, futuro e presente. Sábios são homens que entendem o valor da vida dentro das ideias da arte do viver. Conhecer a si mesmo é moldar um breve compreender. É aludir o ego e a si Próprio ter sempre o vencer.


Tolos são os homens que se vestem de incoerências banas e fazem dos próprios homens os seus prisioneiros letais. Não tão estranho de se ver; a maldade humana chega a níveis descomunais. Está em qualquer terreiro! Homens que se esmagam, se esganam por dinheiro! Valores tão pequeninos, um grão de sal no saleiro, se torna o homem que: desrespeita a si mesmo o tempo inteiro. Homens são grandes quando se vestem de suas simplicidades. Quando fazem de si mesmos as artes da liberdade de voar, respeitam a vida em qualquer lugar!


A dignidade de um homem é uma arte; feliz são os homens que reconhecem os homens que sempre fazem melhores homens a cada dia, seja na arte, na paz; é sabedoria. Melhorar o homem é iluminar a si mesmo todos os dias. Quando se vê seriedade, respeito e harmonia; o homem está nos melhores terços de sua vida breve; porém, se dentro do respeito a vida nunca é vazia. Viver é a mais difícil entre todas as tarefas que se executam todos os dias! Viver é parte; e arte.
Ensaio:001
Na  cabeça das mulheres

Elas perdem a cabeça! É na cabeça de Leda onde está o Cisne!  E não adianta pedir que se esqueça! Está lá dentro da cabeça; ora, pois, ele sempre está lá; bem guardado, sem se sacrificar; o perfeito do perfeito, sem se imunda; no fundo do íntimo do ultimo pensamento ele está! Esclerosvaldo querido,  já não se aguento mais a sua ausência, há quem peça tal clemência!

És tu Botticelli, em Vénus e Marte, aquele que demonstra a melhor parte, na cabeça das mulheres: a atenção da atenção, ou a homérica distração. É um tipo de energia parecida com demência, circunda os pensamentos na maior das inocências, é incompatível por sapiência. Vem de noite, vem de dia e não perde a insistência! Vai-se! Vai as compras, ou padaria, lá está a agonia da danada ausência; como se estivesse todas elas a zelar na inocência; a velar: o sono de Marte!

Na primeira vez que se viu tal mazela, apareceu antes da adolescência; mas quem é mulher já sabe: da inútil negligência! E se passa os anos vira uma dependência na humana decadência. Tinha bala coloridas para todo o lado e a muitas faltava a inteligência. Esclerosvaldo é eterno e jamais tem aparência! Pode ter vindo do inferno, mas está na consciência! Pode ser celestial, ou uma mera conveniência! Pode tornar a própria vida uma eterna imprudência!

Havia tempos em que ninguém comentava o preço dos sapatos; ninguém falava dos vestidos, ninguém se preocupava com a estética, pois na mente o atrevido vira uma fumaça eclética! E fora na verdade a Psique de Cánova uma das muitas que se reanimou por tamanha energia. Para ela, um anjo esculpido; Oh, inigualável Esclerosvaldo, és  tu o atrevido!

Um sujeito tão cabreiro, de um modo tão certeiro; energia a lhe doer; fez do pensamento um parceiro que ninguém pode entender; é pré-histórico o viver! E poucas podem ter! Cada mulher tem o seu e  algumas podem compreender. Outras personificam o Romeu: para tenta-lo esquecer! É melhor ver o preço dos sapatos, no mundo há ratos que podem roer!

Há quem calce o trinta e seis; há quem vista números maiores! Não importa o qual é, tá na mente da mulher! Chegou-se a imaginar certa feita, que a danada da Julieta, encanada e na sarjeta, o paraíso alcançou! Quanta ironia; um balde de água fria para a surpresa do mundo, fora viver no além, o que há de mais profundo! Algo tão almejado e assim tão esperado! Querem todas as mulheres lhe encontrar fora de seu mundo! Bobagem; é melhor se valer dos sapatos!

Há sapatos ingratos, igual pé de pato, esparrama no ato da tal solidão! E mais uma vez vem dona Clemência; com toda a inocência mergulhar no sertão, lá está ela em qualquer  lugar da atmosfera. Terra de homem de pouca valia terá água fria. Mergulhe ai não! É prudente calçar-lhe os sapatos que lhe caibam aos pés! Rodam dias, passam noites e está na cabeça das mulheres! É lá que está; não há o que procurar; se bem observar, já estas a lhe encontrar!

Esclerosvaldo querido, bandido cupido que deu-te as mulheres, és  o homem perfeito! Não tendes defeitos! Pura magia! Lhes completa na noite, lhes brilham de dia! Deseja-lhe a todo instante. Tão suprema companhia, um homem de muitas palavras, adjetivos a revelia, um homem que já não exista!

Amam-lhe Esclerosvaldo! Todas na bigamia! Calçam sapatos “anuméricos”, apertam o que tem de valia. Na busca do que é perfeito se rompe na hipocrisia. Melhor ser mulher de um só! Amando apenas o que por ti sentia! Amando-te na eterna melodia em que se vê tua sabedoria. O mais amado de todas as belas mulheres: é só energia!

A bela não busca a fera, nem tão pouco pretende lhe moldar; as histórias são contos de fada, estão apenas no imaginar. As feras são quem buscam as belas para com estas estar; fadados na biologia do se sacrificar! Diferenças instintivas, e extintas, para um simples acompanhar; é imprudente o incompatível ignorar.

Quem Atala de Anne Louis não quisestes ser! Atala o teu leito de morte;  e  ali, a fera linda e forte, músculos sem norte, um homem de sorte. O mais próximo sentimento nobre da perfeição, sentiu a morte. Desnorteado aos seus pés sem lhe querer deixar partir! Um momento único em um sentimento singular. Uma magia indescritível que só a morte pode dar!

Andam por ai  de mão dadas  e sem saber que todos estão a padecer, pois todas amam seus maridos, mas nenhuma delas deixam para traz o Esclerosvaldo. Este é homem perfeito, ao nascerem elas já o possui no peito, logo o levam para o leito do sonhar e para sempre hão de lhe acompanhar!

É na cabeça das mulheres onde Esclerosvaldo está. Quem ainda não sabia, vá ao padre confessar. Pois para um diz que ama, mas e o outro que está sempre em primeiro lugar! Basta apenas a rotina para os amores ceifar. Já  do mais amado Esclerosvaldo nenhuma há de se apartar. Com ele nunca se rompe. Sempre é eterno e neste mundo há de estar! Na cabeça das mulheres por gerações a se proliferar!
Postar um comentário